A pesquisa foi feita em vários países com um público acima de 18 anos. No total foram entrevistadas 8 mil pessoas em 13 países pela firma Synovate, uma firma do mercado fonográfico, em prol da pesquisa “Music Matters” algo como a música importa.

A pesquisa mostrou que os brasileiros estão no topo da lista dos que amam a música (com 80%), os espanhóis em segundo (com 79%) e que os australianos estão no outro extremo, sendo os últimos da lista (com 27%). 63% dos entrevistados disseram que amam música, 14% disseram que queriam ouvir música cada minuto de cada dia se eles pudessem, no Brasil, que obteve de novo o posto mais alto, são 49% os que desejariam isso, enquanto novamente os australianos ficaram em último nessa pesquisa com apenas 2%, e outros 6% disseram que não se importam com a música, esses devem ser seres de outro planeta.

Ela ainda revela que a cada 10 pessoas, 4 compram Cds de uma loja, enquanto 11% compram Cds piratas. Dois terços das pessoas também afirmaram que pagam pelas músicas que baixam na internet. e outros 8% disseram que pagam por aplicativos de música para seus celulares.

A Music Matters ainda fala como os amantes da música se dispõem a gastar para conhecer seus artistas favoritos, e que os norte-americanos são os que mais gastam nesse contexto, enquanto dois terços dos franceses também se dispõem a gastar em outras áreas das artes como a poesia e trabalhos de arte.

O diretor da pesquisa afirma que essa pesquisa tranquilizou o mercado fonográfico, por que mostra como houve uma diminuição no download ilegal, e que as pessoas estão mais dispostas a gastarem em serviços de música online, mas mesmo assim 44% das pessoas também teriam a preferência pela música de graça, mesmo que isso implicasse em tanta propaganda.

O site da empresa que realizou a pesquisa é www.synovate.com/insights/infact