A música estará presente em seu novo álbum “It’s Not Me, It’s You”, marcado para ser lançado em 2 de fevereiro, o nome da música é “Everyone’s At It”.

Nela a cantora fala das drogas “legais”, os antidepressivos… e as ilegais, e ainda deixa claro que não condena o seu uso. A nota ainda fala que a cantora “é solidária aos indivíduos e famílias cujas vidas foram destruídas pelas drogas.”

No ano passado, ela afirmou ao The Observer que não queria mudar nada com a música, “Drogas são ilegais e ruins e ainda podem arruinar as vidas das pessoas, mas elas são bastante proeminentes”, afirmou.

Mas, mas, mas, em uma recente entrevista ao tablóide The Sun, ela elogiou a cocaína, criticou o Cristianismo e ainda sobrou um pouco para a sua gravadora, a EMI.

“Você não escuta sobre os benefícios de se consumir cocaína. Eu gostaria que as pessoas não fossem tão sensacionalistas. Algumas pessoas simplesmente não sabem como consumir drogas”, disse a cantora, que foi chamada de “doente, ingênua e sem direção” pelos leitores.

“Eu conheço pessoas que cheiram cocaína três vezes por semana e se levantam no dia seguinte e vão trabalhar”, falou Lily na mesma entrevista.

Ela ainda assumiu já ter feito o uso da droga, pois ela se sentia deslocada quando os outros ao seu redor o faziam, mas que não gostou da experiênica (que coisa mais estúpida a se fazer, fazer o uso de drogas por que os amigos também o fazem, isso é coisa de gente sem uma idéia formada, é aquela mesma história, será que ela se jogaria de uma ponte por se sentir deslocada se todos ao redor também se jogam?)

Já com respeito ao Cristianismo, ela diz que não “gosta muito da religião”.

“Cresci em um colégio católico ouvindo que gays, drogas e o adultério eram coisas ruins. Todos os amigos da minha mãe são gays, meu pai tinha casos fora do casamento e havia drogas na minha casa enquanto eu crescia. Achei aquilo cruel”, disse.

E ainda falta falar da gravadora, ela criticou o valor se seu contrato e ainda fala que pela quantidade de cds que foram vendidos, ela deveria receber privilégios, como quartos caros em hotéis caros, motorista…