2007-03-25_bono_echoLarry Mullen Jr. não aprova a amizade de Bono com Tony Blair, o ex-primeiro ministro britânico, e ainda afirmou que o cantor está andando com “más companhias”, essa entrevista sairá na próxima edição da revista Q que chega às bancas em 31 de dezembro.

“Meu maior problema realmente é com as companhias que ele mantém às vezes. Mais as pessoas da política do que do mundo financeiro. Em particular, Tony Blair – quer dizer, eu acho que o Tony Blair é um criminoso de guerra. E eu acho que ele deveria ser julgado como um criminoso de guerra. E aí eu vejo Bono e ele como colegas, e penso: ‘Eu não gosto disso’,” afirmou Mullen à revista.

O baterista não aprova o relacionamento de Bono com Tony Blair, mas por outro lado, amenizou o relacionamento de Bono com George W. Bush.

“George Bush tem sido muito generoso com a causa [de caridade do Bono]… a diferença entre ele e Tony Blair é que Blair é inteligente. Portanto ele não tem desculpa para o que fez. Ao passo que George Bush, creio, poderia encontrar algumas desculpas para o seu comportamento”, ironizou.

Piada né…

Na mesma reportagem, Bono se justifica dizendo que “foi embaraçoso para a banda. [O guitarrista] Edge sempre me diz ‘você é um artista, se lembre disso. Não é um político’. Mas se você olhasse a face de uma mãe ou de um filho que tenha morrido nos seus braços sem um bom motivo, veria que eles não se importam quem é o presidente dos Estados Unidos. É algo que, uma vez que você testemunha, não consegue tirar da sua cabeça.”